Posts Tagged ‘Art’

I am made of pop – a dark, obscure, subversive and inspirational underground pop, but pop!!

 

[Jean-Michel Basquiat РWorks from the Mugrabi Collection]

Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro (2018)

Advertisements

View this post on Instagram

ūüĖ§ #morrissey ūüĖ§

A post shared by Luceni Hellebrandt (@hellebrandt) on

[maladjusted]

H√° 18 anos atr√°s uma amiga me levou em um show de um cara que eu n√£o conhecia muito al√©m do nome e de alguns hits‚Ķeu n√£o tava preparada para o quanto essa noite, esse show, esse cara iria influenciar minha vida. Quando Morrissey entrou no palco do Opini√£o (Poa/RS) em fevereiro de 2000, imagino que minha cara deva ter ficado semelhante √† da cena de Christiane F., quando ela assiste ao show do Bowie. Devo ter ficado catat√īnica o show inteiro‚Ķlembro da sensa√ß√£o hipn√≥tica e de sair do show com algo diferente. Daquele dia em diante, degustei cada m√ļsica dos Smiths e Morrissey, achando uma voz para traduzir meus sentimentos‚Ķem cada letra, um reconhecimento. A ajuda necess√°ria para sobreviver que s√≥ encontramos na arte. Morrissey cantou cada dor que a exist√™ncia me apresentou e me convenceu rapidinho a parar de comer carne. 18 anos vegetariana‚Ķmuita gente fica incr√©dula com este tempo, mas para mim fez todo sentido no momento em que conheci Morrissey e nunca foi dif√≠cil.18 anos (e alguns meses), sempre contando com ele nos momentos mais sombrios, nas horas de levantar a cabe√ßa¬† com o orgulho de assumir minhas escolhas sem me importar com julgamentos alheios, e at√© dan√ßando sem vergonha‚ĶMorrissey me apresentou uma filosofia de vida que me serviu perfeitamente.

Passados estes 18 anos, o sentimento ao rev√™-lo n√£o tem como ser descrito de outra forma se n√£o o clich√™ de gratid√£o. Fiquei muito feliz com o lindo show, com os 90 minutos m√°gicos, que lavam a alma e reafirmam o myself. Al√©m do momento m√°gico por si s√≥, uma produ√ß√£o de show impec√°vel, num lugar com ac√ļstica e ambienta√ß√£o peculiar para os padr√Ķes BR (Fundi√ß√£o Progresso, Rio/RJ) e um setlist que muito me agradou, pois era mais para ‚Äúnext steps‚ÄĚ do que para ‚Äúessentials‚ÄĚ. Foi uma experi√™ncia necess√°ria para aliviar este ano, t√£o dif√≠cil de sobreviver‚ĶMoz nos indicando para resistirmos, nos apoiando nos amigos (se tivermos algum, obviamente). Gratid√£o eterna para com quem tamb√©m teve sua alma rejeitada por satan.

 

[Latin America Tour] Morrissey (2018)

Acabei de assistir o episódio final de Sense8.

Assisti¬†com certa tristeza¬†pelo¬†cancelamento do seriado, mas n√£o pude evitar alguns pensamentos… com certeza foi o seriado mais queer de audi√™ncia acess√≠vel que assisti nos √ļltimos tempos.

Penso em como a menos de 2 d√©cadas algo do universo lgbtq era bem mais restrito…

Sempre lembro e faço questão de pontuar como um avanço incrível aconteceu a partir dos anos 2000. Antes disso, tudo era bem mais difícil de acessar, em circuitos bem restritos.

Com Queer As Folk (versão USA 2000 Р2005) e The L Word (2004 Р2009) a tv cumpriu um de seus papéis sociais e naturalizou na tela os sentimentos de tanta gente ao redor do mundo, incluindo os meus, colocando em tela que é ok ser quem você é e gostar de quem(s) você gosta, independente do sexo e/ou gênero da(s) pessoa(s).

Incr√≠vel poder chegar num momento em que um seriado como Sense8 coloca tantas possibilidades de relacionamentos afetivos. ‚̧

Sense8 d√° uma sensa√ß√£o de leveza e de esperan√ßa… de que √© poss√≠vel!!! (apesar de todo o retrocesso e intoler√Ęncia que vivenciamos atualmente).

movement-builds-to-renew-sense8-750

(from: https://www.advocate.com/television/2017/6/01/fans-petition-netflix-bring-back-sense8-its-not-just-tv-show)

(one more time, thank you brainpickings for the great tip!)

‚ÄúYou can be lonely anywhere, but there is a particular flavour to the loneliness that comes from living in a city, surrounded by millions of people.‚ÄĚ

View this post on Instagram

Este √© meu livro 12, com o qual cumpro 100% de uma das minhas ‚Äúresolu√ß√Ķes de ano novo‚ÄĚ / metas de 2017. (viu @patriciaphreitas ūü§ďūüėč) Mais do que isso, esse foi o meu #livrodoano … aquele que vc fica muito feliz em ler pois vai rolando uma identifica√ß√£o com os sentimentos da autora, par√°grafo a par√°grafo. Al√©m disso, o livro me apresentou v√°rios artistas marginais que eu ainda n√£o conhecia e alguns detalhes de outros que eu j√° admirava. Aquele tipo de livro que vc gosta tanto que vai degustando com calma e receio de chegar ao fim. Obrigada @brainpicker por mais esta dica de leitura. ūüĖ§ #booksofinstagram #ūüďö #acidadesolit√°ria #livrodedomingo

A post shared by Luceni Hellebrandt (@hellebrandt) on

[The Lonely City] Olivia Laing (2016)

FullSizeRender-1FullSizeRender

[domingo] Luceni Hellebrandt (2017)

vangoghmuseum-d0364v1968-3840

[knotberken] Vincent van Gogh (1884)

from: Van Gogh Museum

 

[subculture] –

we look the same/we talk the same/we are the same/we are the same

screen-shot-2017-02-21-at-10-08-18

more:

Exactitudes